PT | EN
PT | EN

CONCERTO DE VERÃO | Silves

Panorama da música erudita brasileira no século XX

 

Sinopse

Num concerto inteiramente dedicado à musica erudita do Brasil, reunimos três dos seus maiores compositores do século XX, de referencia universal. Numa viagem embalada pela suave e bem humorada melancolia tropical de H. Villa-Lobos, com paragem para apreciar a vibrante paisagem do Sertão de Lorenzo Fernândes, terminaremos em festa com J. Medaglia e a energia contagiante que só os ritmos brasileiros nos fazem sentir.

 

Notas ao Programa

 

Composto em 1915, em Nova Friburgo (Brasil), o quarteto de cordas nº1 de Heitor Villa-Lobos é formado por seis andamentos curtos e contrastantes. Embora o compositor seja reconhecido por usar na sua música elementos que nos remetem para o nacionalismo brasileiro, essa característica ainda não é muito evidente nesta obra.  Conhecida pela exigencia da sua técnica instrumental, requer uma preparação individual minunciosa por parte dos músicos para que, em conjunto, possam interpretar as polirritmias e cordas dobradas em intervalos de quartas e quintas, especialmente dificeis de executar.

 

Lorenzo Fernândez foi compositor, maestro, professor, e, juntamente com Heitor Villa-Lobos, um marco importante na educação musical brasileira. Os seus pais queriam que estudasse medicina, mas, ironia do destino, foi surpreendido por um distúrbio nervoso antes de iniciar o curso. Aconselhado a repousar e relaxar através da música pelo médico da familia, foi impossível conter o seu impulso artístico e criativo desde então. De personalidade singular e independencia estética, revelou-se o compositor que escutaremos no Opus 37, uma das suas obras destacadas no que à música de câmara diz respeito.

 

Fascinado pelo violino de uma empregada da família, Júlio Medaglia começa a estudar o instrumento aos doze anos de idade. Passado pouco tempo ingressa numa orquestra amadora e progride nos seus estudos musicais. Faz o seu aperfeiçoamento musical na Alemanha como aluno de Boulez, Stockhausen e Barbirolli. Compositor, arranjador e  maestro de orquestra, é longa a sua carreira com concertos realizados no Brasil e na Europa. Incansavel divulgador da música erudita em programas de rádio e televisão, foi também quem deu inicio ao célebre movimento artístico “Tropicalismo”, com o arranjo da canção Tropicália, de Caetano Veloso. A Suite Popular Brasileira é a composição que convidamos a escutar neste concerto. Escutar e dançar, porque não vai ficar indiferente à presença rítmica desta obra.

 

Obras de H. VILLA-LOBOS, O. LORENZO FERNÂNDEZ E J. MEDAGLIA

 

Programa

H. VILLA-LOBOS (1887-1959)

Quarteto de Cordas nº 1, W099

 

I. "Cantilena" (Andante)

II. "Brincadeira" (Allegretto scherzando)

III. "Canto lírico" (Moderato)

IV. "Cançoneta" (Andantino quasi allegretto)

V. "Melancolia" (Lento)

VI. "Saltando como um Saci" (Allegro)

 

O. LORENZO FERNÂNDEZ (1897 – 1948)

Suite para quinteto de instrumentos de sopro, Op.37

 

I. Pastoral (Crepúsculo no Sertão)

II. Fuga (Sacy-Pererê)

III. Canção (Canção da Madrugada)

IV. Scherzo (Alegria da Manhã)

 

J. MEDAGLIA

Suite popular brasileira

 

I. Choro

II. Baião

III.Seresta

IV. Frevo

 

Agrupamento de música de câmara da Orquestra Clássica do Sul

Ana Catarina Costa, flauta (convidada)

Catarina Silva, oboé

Pedro Nuno, clarinete

Cândida Nunes, fagote

Todd Sheldrick, trompa

Alma Ramirez,  Emilian Petrov, violinos

Ivetta Natzkaya, viola

Ana Luísa Marques, violoncelo

 

60 minutos s/ intervalo, Duração

 

25/06

SILVES

Igreja Matriz de Armação de Pêra

21h00

Entrada Livre

Município de Silves, Organização

voltar a ciclo de música de câmara

SCHUBERT - A GRANDE SINFONIA

30/06
Faro
Teatro das Figuras
21h30

saber mais

PEDRO ABRUNHOSA & COMITÉ CAVIAR COM OCS

08/07
Lagos
Antigo Ciclo Preparatório
21h30

saber mais

Se deseja receber notícias sobre futuros eventos, subscreva a nossa newsletter

Morada
Rua João Brito Vargas
Casa das Figuras
8005-145 Faro
Siga-nos